24 de novembro de 2011

Me iRita



E aqui estou eu
oferecendo o que tenho de costume
escrevendo sobre o que aconteceu
quando senti o teu perfume.

Foi como uma perfeita tempestade...
Uma chuva de verão que dura o dia inteiro,
dessas que molha com vontade
e que te faz lembrar o cheiro.

Algo que não é o pra sempre
mas tem toda beleza do agora
Então peço que se concentre
e me escute noite a fora.

á pouco tempo eu conheci um anjo
sem asas ou aureola.
Mas que inspira a compor arranjos...
quando penso em como és bela.

lamento s o texto constrange-la
mas voce merecia ouvir,e eu dizer...
Menina dos olhos de estrela,
foi um prazer te conhecer.

Com olhos castanhos doces,
como sendo a Deusa de minha nova criação.
E mesmo se não fosse
seria ao menos minha inspiração...

Com a boca que inveja Afrodite,
carnuda e rosada inspirando o beijo.
Mesmo que não acredite,
é capaz de incitar desejo.

Com o ar de menina
que deixa sem ar o escritor.
Algo como a beleza natalina,
ou nunca ter ganho uma flor.

Que quer viajar o mundo...
com mil historias a sua espera.
Que fez 1 hora passar num segundo
enquanto a Bela ouvia a Fera...

Com a voz que faz tudo parecer melhor
estando certa sobre o mundo e sua crueldade...
dando ouvidos ao que já sei de cór
e sonhando por outra realidade.

Um filme de Palhaço,um frapuccino de natal
O tipo de garota que merece esta escrita.
O dia em que vi a beleza do trivial
Passando meu sabado com Rita.

Um comentário:

@mrpitanga disse...

Muuuuito bom, cara :D
- seguindo já (?)