12 de abril de 2011

A linha tênue

- Tem gente que acredita que nossa vida é separada por uma linha Tênue com a morte, eu pessoalmente acredito que a vida seja como um vagão de metro
Disse o jovem sentando em um banco no vagão ao lado de  uma garota, ela possuía cabelos castanhos e olhos escuros. Ele era normal, porém estranho o bastante para começar uma conversa com alguém desconhecido, a garota sorrio e perguntou ingenuamente
-E por que você acha isso?

Ela sorri, enquanto o metro saia da estação Tucuruvi. Então o jovem começou a desenvolver melhor sua metáfora.
-Imagine o vagão como o mundo nele existe pessoas como aquele senhor ali que dormem o tempo todo.
No momento em que o garoto apontou o dedo para um senhor que roncava desesperadamente foi repreendido pela garota ao seu lado.
-Pare de apontar é feio, vamos ser discretos.
Ele disfarçou um sorriso enquanto continuava a desenvolver sua metáfora.
- Os que dormem o tempo todo vivem em um mundo de sonhos o que seria a vista da janela do metrô, você talvez nunca alcance o mundo lá fora, e quem sonha o tempo todo esquece o mundo real e perde oportunidades únicas como minha conversa com você agora, se eu fosse um sonhador talvez não conversasse contigo.
A garota fez um semblante de quem estava pensando no assunto e chegou à conclusão de que ele estava certo.  Agora ele apontava para mais dois jovens distintos, ambos estavam lendo.
-Existem aqueles preocupados com o futuro.
-Como assim? Um está lendo um jornal e o outro um livro e pelo visto de história. Eu diria que o preocupado com futuro é o que está lendo o jornal.
Disse a garota com certo tom de desprezo. E subitamente o garoto retrucou:
-Não, ambos estão coletando informações e o que vale hoje em dia é o conhecimento então logicamente estão agregando algo para o seu futuro, pode ser que um seja mais interessado que o outro na informação mais um dia ou outro essa informação irá valer alguma coisa.  E o passado é o reflexo do futuro, estudar história é tão bom quanto atualidades só de você aprender a não errar como os outros erraram.
-É eu nunca tive esse jeito de ver as coisas. ..
A garota abaixou a cabeça, por um instante mais logo aquele garoto começou novamente a desenrolar seu pensamento, mostrando uma mulher alta com uma postura impecável que descia na estação Jardim São Paulo
-Ah, fora isso existem os acorrentados preocupados com seu trabalho, ou seja, lá o que perturbar a mente deles está sempre procurando a utópica perfeição. Ou seria perfeição utópica? Não sei. Agora existem pessoas divertidas como aquele ali olha
Bem no fundo no ultimo assento do vagão, ele possuía um visual totalmente punk enquanto tocava uma bateria imaginaria e soltava algum som estranho pela boca. Naquela extremidade do vagão só exista ele e mais ninguém, e volte e meia as pessoas olhavam tentando decifrar o problema daquele homem.
-São os loucos, eu não preciso nem explicar não é? Eles são perfeitamente normais mais apenas no mundo deles, no meu ponto de vista os Loucos são totalmente o oposto de um Acorrentado. Mais essa regra é igual, a todo quadrado é um losango mais nem todo losango é um quadrado. A pessoa pode ser louca e acorrentada ao mesmo tempo, ai já é um caso mais evoluído de paranóia. Ei agora que é interessante!
A voz do homem anunciava à chegada a estação Santana. A garota olhou prestando o máximo de atenção possível a cada palavra. Em Santana algumas pessoas desembarcaram e outras embarcaram. Para a alegria de todos mais pessoas desembarcaram do que entraram.
-É aqui onde a vida acabada, no ato de embarcar e desembarcar as pessoas acordam para novas possibilidades de vidas, ou seja, um Louco, pode se tornar um sonhador em outro vagão?
-Pelo que você deduziu, sim. Disse a jovem conformada.
-Sim, mais é ai a graça as pessoas às vezes, não todas. Precisam “morrer” para Viver novamente outra realidade, o que a maioria não se dá conta é que ela pode ser uma sonhadora e passar para o estado de Acorrentada no mesmo vagão. E é ai que está à mágica da vida do metro, assim como na vida que chamamos de real, não precisamos necessariamente morrer para viver novamente, novos rumos podem ser traçados, esperanças renovadas, entende?
-Nossa,essa conversa  foi realmente estranha. Ela sorrio novamente, olhando como quem gostaria de propor um desafio ao jovem metido a entendedor. – E você em qual das personalidades você se encaixaria?
Isso fez o garoto ficar em silencio por alguns instantes, enquanto piscou para a garota.
-Eu sou um observador, eu sonho com o pé atrelado a realidade, eu me acorrento a isso e sou louco o suficiente para sobreviver por mais fria que seja e corajoso o suficiente para seguir em frente e tirar novas conclusões, tá eu não sou o Batman.. ainda.
Ambos gargalharam enquanto a voz anunciava a chegada a estação da Sé, onde a garota iria descer mais antes disso ela perguntou ao Sabichão:
-Será que um dia eu vou te encontrar novamente?
Ele sorrio respondendo:
-Vou deixar essa para a vida do metrô responder
--------------------------------------------------
Use a adversidade como motivo para a perseverança.


6 comentários:

Anônimo disse...

Mande noticias domundo de lá...diz quem fica me dê uma abraço venha me apertar...
Tô chegando...Todos os dias é um vai e vem a vida se repete na estação..tem gente que chega pra ficar, tem gente que vai pra nunca mais...tem gente que veio só olhar, tem gente a sorrir e a chorar...e assim chegar e partir...
Lindo!!!!!!!

@der_werwolf disse...

Muito obrigado pelo comentário ^^

dkschiffer disse...

"É aqui onde a vida acabada, no ato de embarcar e desembarcar..." Muito bom!
Sempre sendo o melhor néah Wolf?
Como eu sempre digo, você é genial, brilhante e sabe escrever muito bem. Sabe fazer as pessoas ficarem presas ao texto! Parabéns novamente {como sempre}
{Ps: Eu linda? HAHAHAHAHA Finjo que acreedito!} KOFDKOFDKOFDKODFOFDOFDKKFODDFKO
i love u♥ and bgks

@dkdree_

Anônimo disse...

Hm... nós gostamos de acreditar que algumas dessas pessoas ficarão conosco durante toda a viagem, então a realidade mostra o contrário. Elas saem do trem e nos deixam para trás.
Não sabemos quem vai embarcar ou quando os viajantes descerão do vagão, nem mesmo os que sentam ao nosso lado. Ainda que um dia, todos cheguem à estação; será que realmente teremos que dizer adeus? "Vou deixar essa para a vida do metrô responder..."

Muito bem Husky, adorei o texto!

-R

Priscilla disse...

Amei, amo suas coisas aqui, mesmo! Bjs.

@der_werwolf disse...

Valeu Pri ^^